SING

Crítica – Sing: Quem Canta Seus Males Espanta

A nova animação da Universal Pictures, SING – Quem Canta Seus Males Espanta, teve sua estreia antecipada e chegou aos cinemas nesta semana trazendo um presente para as crianças e também para os fãs de música, suas mais de 80 canções farão o público se divertir neste fim de ano, além de apresentar uma mensagem de superação e de que sonhos podem se tornar realidade.

O filme conta a história de Buster Moon, um Coala super otimista que está em uma situação crítica com seu teatro e com isso corre o risco de perdê-lo. Como o teatro traz muitas recordações do trabalho duro que seu pai teve para que Buster conseguisse comprar o teatro ele tem uma ideia inusitada e resolve fazer um concurso de canto. Na mesma cidade Rosita, uma Porquinha que desistiu da carreira de cantora e que vive para cuidar de sua casa, seu marido viciado em trabalho e seus 25 leitões. Ash, uma Porco-espinho roqueira-punk que tem uma banda com seu namorado que não acredita em sua capacidade musical.

Johnny é um Gorila que tem sérios problemas com o pai porque o seu grande sonho é ser cantor e seu pai quer que ele seja um criminoso para seguir seus passos. Meena é uma Elefante que tem uma bela voz,mas é muito tímida e tem pavor de palco, o que a impede de realizar seu sonho de ser cantora. E o trapaceiro, mas talentoso Rato Mike. Todos são atraídos pelo anúncio do concurso de Buster que divulga acidentalmente o prêmio de 100.000 dólares, sendo que na verdade seria apenas de 1000 dólares. Vendo o talento dos escolhidos Buster tenta conseguir o dinheiro prometido ao invés de contar a verdade.

Assistimos a versão original do longa com as vozes de Matthew McConaughey, Scarlett Johansson, Reese Witherspoon, entre outros talentos, e a história é bem animada, divertida e nos faz rir muito em diversos momentos, principalmente nas audições, apresentações finais e nas coreografias do porquinho Gunter. Já a versão dublada conta com as vozes de Mariana, Ximenes, Sandy, Wanessa Camargo e Fiuk.

O filme pode parecer apenas mais uma animação infantil, mas tem um enredo bem legal e mesmo em momentos de conflitos internos dos personagens nos mostra que nenhum sonho é impossível e que com determinação até a situação mais improvável ou conflito pode ter uma solução, por mais difícil que pareça.

A animação é uma ótima opção para estas férias e com certeza vale o ingresso! Sua estreia em circuito nacional acontece nesta quinta-feira, 22 de dezembro, mas em algumas cidades o filme já está em cartaz em sessões especiais.

Nota: classificacao-positiva

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

1 thought on “Crítica – Sing: Quem Canta Seus Males Espanta

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: