Crítica – Invocação do Mal 2

Faz algum tempo que filmes de terror não levam o grande público para as salas de cinema, mas a franquia Invocação do Mal parece que está levantando esse gênero que possui muitos fãs pelo mundo. O longa conta com o diretor James Wan e com certeza esse é muito mais assustador que os anteriores, Invocação do Mal e Anabelle.

Filmes de terror não me agradam muito (pois tenho medo de tudo), mas alguns trazem um drama e uma tensão que fazem o expectador ficar apreensivo e muitas vezes curioso. Com cenas assustadoras e momentos de tensão Invocação do Mal 2 te deixa realmente apreensivo e sustos que podem te tirar da poltrona do cinema, aparentemente apenas James Wan consegue isso hoje em dia.

E apesar de muito bom alguns pontos ainda deixam a desejar, como a o que eu chamo de “Síndrome do Exorcista”, já que chega um certo momento em que todos os filmes de terror se parecem com Exorcista, uma menina é possuída por um demônio e fica com a clássica feição do clássico do terror; E grandes sustos mais por conta de um som muito alto do que pelo enredo em si, mas isso acontece pouco no filme e o que realmente chama a atenção são os momentos com suspense e os demônios e espíritos que estão atormentando uma família que vive em Londres.

invocacaodomal2

O filme se passa sete anos após os eventos de Invocação do Mal (2013), Lorraine (Vera Farmiga) e Ed Warren (Patrick Wilson) desembarcam na Inglaterra para ajudar uma família atormentada por uma manifestação poltergeist em uma de suas filha. A trama é baseada no caso Enfield Poltergeist, registrado no final da década de 1970. O longa é baseado em uma história real, mas não quer dizer que é totalmente igual ao que aconteceu nos anos 70, mesmo porque os Warren não participaram de todo o acontecido, e um ponto bem interessante no filme é que podemos ouvir uma gravação original do casal, o que traz um ar ainda mais assustador.

Os atores Vera Farmiga e Patrick Wilson não deixaram nada a desejar e foram muito bem reprisando seus papéis como o casal Warren, mas foi a atriz Madison Wolfe que se destacou interpretando Janet Hodgson, a garotinha que sofria pela possessão do espírito maligno. Invocação do Mal 2 traz de volta o terror que todo o público espera quando vai ao cinema assistir esse gênero, com direito a muito medo e questionamento se aquilo é real ou se tudo não passou de uma grande mentira.

A Warner Bros. Pictures traz Invocação do Mal 2 aos cinemas a partir de 9 de junho no Brasil.

Nota: classificacao-positiva

2 thoughts on “Crítica – Invocação do Mal 2

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: