O novo documentário original da HBO Latin America, Guerras Alheias, estreia dia 13 de junho às 22 horas. A produção analisa a pulverização aérea com glifosato, um herbicida apontado como agente potencialmente cancerígeno pela Organização Mundial da Saúde em 2015. A pulverização aérea foi uma ferramenta fundamental da parceria entre a Colômbia e os Estados Unidos na guerra contra as drogas em geral e especificamente contra o cultivo da folha de coca.
Durante anos, a Colômbia foi o único país do mundo que disseminava este herbicida pelo ar, o que gerou intensos debates entre quem defendia o produto e quem garantia que ele estava afetando gravemente a saúde dos colombianos.

“A questão das pulverizações aéreas com glifosato na Colômbia é um apêndice do conflito armado entre a guerrilha e o Estado. Guerras Alheias é um convite para entender e refletir – como poucas vezes os colombianos e os latino-americanos em geral já fizeram – sobre o drama das vítimas anônimas da guerra contra as drogas. Guerras Alheias não é uma história em preto e branco, com bandidos e mocinhos. O documentário tem a virtude de nascer nesta zona cinzenta, em que se ouvem as vozes de pessoas que foram abandonadas, ignoradas e até silenciadas” explica Carlos Moreno, o diretor de Guerras Alheias.

O documentário conta com cerca de 30 entrevistas com especialistas dos diversos setores envolvidos no assunto. Entre eles destacam-se ONGs, cientistas, organizações ecológicas, as principais autoridades governamentais e militares tanto da Colômbia como dos Estados Unidos, e os camponeses, que foram os principais afetados.

“Para a HBO Latin America a produção de documentários tem como objetivo dar voz ao talento latino-americano e que este, por sua vez, possa narrar as histórias mais relevantes da nossa região”, comenta Roberto Ríos, Vice-presidente Corporativo de Produções Originais da HBO Latin America. “Guerras Alheias é um claro exemplo disto, já que tanto o diretor como os protagonistas da história tiveram a oportunidade de revelar seus pontos de vista sem nenhum tipo de limitação”, acrescenta Ríos.