Crítica + Entrevista – Maze Runner: Prova de Fogo

Thomas e Teresa estão conseguindo atrair cada vez mais fãs para a franquia Maze Runner, os livros já eram conhecidos, mas agora com a adaptação para o cinema vemos até Cosplayers e pessoas comentando sobre o futuro dos personagens.

Confesso que sou um dos que não conhecia os livros até ver o primeiro filme, e que por sinal achei “OK”, Até que fui a pré-estréia de Maze Runner: Prova de Fogo que o Omelete promoveu ontem, aqui em São Paulo, e me deparei com fãs aficionados querendo ver em primeira mão a tão esperada continuação, em um evento que contou também com a presença dos atores Kaya Scodelario (Teresa) e Giancarlo Esposito (Jorge), que após a exibição do filme conversaram e responderam algumas pergunta feitas pelos fãs.

Mas vamos parar de enrolação e ir ao que interessa.  O filme começa como uma sequência direta do anterior, cheio de ação, com muitas surpresas e momentos de “reações” ,como foi prometido pelo mediador Erico Borgo (Omelete). O longa traz desde uma fuga alucianante até criaturas medonhas (chamadas Cranks), que dão um ar de terror e melhoram ainda mais as sequências de ação.

O ator Dylan O’Brien volta ao papel do protagonista Thomas, que muito carismático na tela soube fazer bem seu papel de adolescente perdido que tenta salvar seus amigos. Kaya Scodelario é Teresa, que foi uma personagem importante para o filme, mas que teve pouco destaque. Já Aidan Gillen (o Mindinho de GOT) interpretou o vilão Janson, e como sempre convenceu a todos de que é uma pessoa sem escrúpulos, um vilão que só quer ser vilão e mais nada (é assim que se faz). E Giancarlo Esposito aparece de repente como Jorge e toma conta enquanto está em cena.

O filme tem suas falhas, é claro, mas como falei em outros textos deste site estou aqui para falar se me diverti vendo o filme ou não.

É um filme para se assistir pensando e acreditando naquele mundo adolescente mostrado, onde um menino (bem grande por sinal) pode dar um jeito em um apocalipse, coisa que a humanidade inteira não conseguiu, e em momentos que não fazem sentido nenhum. Mas sim, este é um filme para aqueles dias que você quer ir ao cinema e nem ver o tempo passar com tanta ação e correria dos personagens em busca de sobrevivência, e que te dá até vontade de ver uma continuação!

VALE O INGRESSO ! – classificacao-positiva

Entrevista pós-filme

Após a exibição de Maze Runner os atores Kaya Scodelario (Teresa) e Giancarlo Esposito (Jorge) chegaram para
responder as perguntas feitas pelos fãs e que foram intermediadas pelo Erico Borgo (“Big Boss”) do site Omelete, em uma entrevista bem descontraida. Vamos fazer um breve resumo do que foi esssa conversa destacando seus pontos mais interessantes.

Os dois atores foram muito simpáticos e receptivos. Kaya com seu português “fofo” arrancou suspiros dos marmanjos que estavam lá, e Giancarlo sempre sorrindo e dando respostas muito engraçadas ,fizeram a noite ser muito boa.

A entrevista começou com o Erico agradecendo a presença deles no evento e falando que não iria lembrar o nome dos fãs que mandaram as perguntas selecionadas, pois ele estava com 40 anos e era “velho”, e Kaya rapidamente respondeu que o “nerd dos nerds” estava super bem, com direito a encarada e tudo, e com isso o gelo já foi logo “quebrado” e a conversa rolou com muita naturalidade.

Uma das primeiras perguntas foi para Kaya sobre como era se reunir e gravar com o elenco novamente, e sua resposta foi uma das muitas respostas que os fãs mais adoraram – “Adoro estar perto dos ‘mulekes’… Quero dizer, meninos. Minha mãe falou pra eu não dizer ‘mulekes’”. A atriz explicou também que sua personagem é muito importante para o desfecho da história e que terá papel crucial no próximo filme da franquia, pois suas ações serão explicadas na continuação.

Giancarlo foi questionado sobre qual lado escolheria o C.R.U.E.L. ou o Braço Direito: “Prefiro o lado do Braço Direito, pois acredito que eles são a ‘liberdade’”.

Com relação a sua cena favorita o ator destacou sua primeira aparição: “Adoro a primeira cena do meu personagem, pois com 3 frases ele já mostra quem é e o que se esperar dele”.

Outra pergunta foi sobre o que Kaya achava de gravar as cenas de ação e a atriz deu umas das melhores respostas: “Prefiro comer coxinha do que gravar as cenas de ação”.

O bate-papo acabou com os atores explicando como foi filmar as cenas com os Cranks já que eram atores maquiados e eles só viram o resultado no momento da gravação e segundo eles foi assustador.

 

Anúncios

1 thought on “Crítica + Entrevista – Maze Runner: Prova de Fogo

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: