Crítica – O Lar das Crianças Peculiares (Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children )

Chegou a hora de assistir ao filme que muitos fãs de Tim Burton esperavam ansiosos, mas já vou avisando  qque nem tudo foi tão maravilhoso, para diminuir um pouco essa ansiedade e esperar um pouco menos do que poderia ser a aventura mais fantasiosa do diretor. Na verdade o que você vai ver é como o próprio diretor não consegue se superar, com uma fantasia pouco fantasiosa e que não consegue encher os olhos do espectador.

O Lar das Crianças Peculiares (Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children ) é um dos filmes que parecem ser feitos na medida para apenas um diretor, e o nome que vem na cabeça de todos sempre foi o de Tim Burton, e para alegria dos fãs isso aconteceu. Mas parece que o diretor não conseguiu trazer a magia do livro homônimo de Ransom Riggs para o cinema, com um início muito cansativo, massante e com total falta de carisma do protagonista Jack Portman, interpretado pelo ator Asa Butterfield, fez com que a primeira parte do filme fosse desinteressante já não vemos o orfanato.

A partir do momento em que somos apresentados para a Senhorita Peregrine, Eva Green, o tom muda um pouco e os mistérios que envolvem as Crianças Peculiares finalmente conseguem prender um pouco a atenção. Uma pena que muito foi mostrado nos trailers, e as peculiaridades mais envolventes todos vimos antes. Um ponto positivo no filme foi a interpretação da atriz Eva Green, que fez uma Senhorita Peregrine com maestria e que realmente me fez esquecer de outros personagens da atriz que é sempre lembrada por sua beleza, mas desta vez além da beleza foi possível ver uma personagem que é forte e inteligente. Chego a pensar até que o diretor achou mais uma atriz que ele pode contar para esses papéis fortes e “estranhos” que ele tanto gosta.

O filme tem muitos problemas como um roteiro confuso, já que contar uma história sobre viagem no tempo é muito difícil, e acredito que o público infantil não vai conseguir entender a confusão que é a linha temporal trabalhada no filme. Até mesmo o desfecho foi muito jogado e tudo se resolveu de uma maneira forçada. O vilão por sua vez é caricato, e acredito que Samuel L. Jackson (Barron) será um vilão que as crianças vão gostar, pois apesar de ter um ar assustador é também cheio de piadas e planos de desenho animado.

Esperava muito mais de Tim Burton neste filme, coisa que não vi, é claro que falo do Burton de “Beetlejuice” e até mesmo de “Alice no País das Maravilhas”, mas isso não aconteceu. Então ainda não sei se vale o ingresso.

Nota: 

O Lar das Crianças Peculiares (Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children ) estreia dia 29 de setembro de 2016.

 

Sinopse: Quando seu querido avô deixa para Jake pistas sobre um mistério que se estende por diferentes mundos e tempos, ele encontra um lugar mágico conhecido como O Lar das Crianças Peculiares. Mas o mistério e o perigo se aprofundam quando ele começa a conhecer os moradores e aprende sobre seus poderes especiais… e seus poderosos inimigos.

3 thoughts on “Crítica – O Lar das Crianças Peculiares (Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children )

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: