Crítica – A Lenda de Tarzan

O novo filme baseado na conhecida história da criança que é criada por Gorilas na selva africana foi anunciado pela Warner com alguns comentários negativos,  mas os primeiros trailers mostraram que o estúdio iria levar esse conto para um patamar muito maior do que estávamos acostumados, com cenas de ação, um CGI que impressiona e um vilão digno de um grande filme a Lenda de Tarzan vai agradar muitas pessoas que irão ao cinema para ver um filme de ação sem Super Heróis.

“A Lenda de Tarzan” se passa após alguns anos desde que o homem conhecido como Tarzan (Skarsgård) deixou as selvas da África para trás para levar uma vida burguesa como John Clayton III, Lorde Greystoke, com sua amada esposa, Jane (Robbie) ao seu lado. Agora, ele é convidado a voltar ao Congo para servir como um adido comercial do Parlamento, sem saber que na verdade ele é uma peça usada em uma ação de ganância e vingança, organizada pelo belga Capitão Leon Rom (Waltz). Porém, as pessoas por trás dessa trama assassina não fazem ideia do que estão prestes a desencadear.

Parece estranha essa premissa, mas tudo é muito bem resolvido e amarrado pelo vilão Capitão Leon Rom (Christoph Waltz) que toma conta do filme em vários sentidos, uma parte pela brilhante e sempre impecável atuação de Christoph Waltz que faz um vilão que em alguns momentos parece frágil e de repente fica assustador e calculista. Com diálogos muito bons com Jane (Margot Robbie) que também faz uma personagem forte e não uma donzela em perigo, em algumas cenas isso vira piada, mostrando que ela não está ali a toa.

O filme se mostra grandioso na maior parte do tempo o que te prende muito, mesmo o romance entre Jane e Tarzan é muito bem explicado e apresentado de maneira simples e fácil de entender, com personagens fortes e interessantes que fazem até mesmo o protagonista ser menos interessante. Os animais não falam como na animação, mas a forma como Tarzan se comunica com eles mostra um lado mais “real” e muito bonito de se ver.

Alexander Skarsgard não deixou nada a desejar, apenas em alguns momentos sua atuação era apagada, mas não por culpa dele e sim por conta dos grandes atores que estavam ali em cena, era impossível não comparar e ver que mesmo com a boa atuação de Alexander, nomes como Samuel L. Jackson, Christoph Waltz e a própria Margot Robbie roubavam a cena.

No geral A Lenda de Tarzan é um excelente filme para assistir com a família, que passa alguns valores de amizade e respeito para as crianças, e impressiona nas cenas de ação e em alguns diálogos para os adultos. Impressiona, pois eu sinceramente não esperava muito desse filme, com um 3D muito leve que não cansa, piadas bem colocadas “A Lenda de Tarzan” vale o ingresso e você pode assistir com sua família tranquilamente.

Nota: classificacao-positiva

A Lenda de Tarzan é dirigido por David Yates, e estreia em 21 de julho.

3 thoughts on “Crítica – A Lenda de Tarzan

  1. Alguns desses pontos são bons e interessantes, em certo momento imponentes, mas parecem ser (em sua maioria) superficiais. É evidente que o grande destaque neste filme foi Alexander Skarsgard, não só no físico, por uma dieta rigorosa, mas com grande esforço para desempenhar o papel de Tarzan. Eu acho que é o melhor remake que poderia ter sido feito.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: