Crítica – Goosebumps: Monstros e Arrepios

O ator Jack Black possou pelo Brasil para promover o filme Goosebumps: Monstros e Arrepios, e para isso o astro participou de muitas ações promocionais e programas de televisão. Nesta quarta (21/10/2015) esteve presente na pré-estréia do longa que aconteceu no Shopping JK Iguatemi, e fez a alegria de muitos fãs que puderam ver Jack de perto (mesmo que por alguns segundos).

O filme é uma comédia de terror para crianças, e começa apresentando os personagens principais: Zach Cooper (Dylan Minnette), Hannah (Odeya Rush), Champ (Ryan Lee) e R. L. Stine (Jack Black). Nesse início as piadas não funcionam e a tentativa de criar um casal romantico é um pouco forçada, já que a dupla Dylan Minnette e Odeya Rush não tinham nenhuma química, e o personagem de Jack Black quase nem aparecia. Mas quando os monstros começaram a dar as caras, junto com os trejeitos de Jack e Ryan Lee, juntamente com o vilão do filme “Slappy the Dummy” as coisas começaram a melhorar. A computação gráfica foi muito bem feita e o terror rendeu muitos sustos (lembrando o mesmo é voltado para crianças), uma das minhas partes preferidas foi onde apareceram os anões de jardim, que realmente pareciam feios de porcelana, com movimentos travados e quebradiços.

Acredito que o público alvo foi agradado, mas vi algumas piadas sem graça e um grande mistério revelado logo na metade do filme, que acabou tirando um pouco a graça de como iria terminar. Confesso que não iria até o cinema, mas vale a pena levar seu filho ou sobrinho para assistir, um belo filme de sessão da tarde com seus efeitos especiais e tudo mais, mas não acredito que tenha uma continuação.

Nota:classificação site 2

Sinopse: Depois de se mudar para uma cidade pequena, um adolescente chamado Zach Cooper (Dylan Minnette) conhece Hannah (Odeya Rush), sua nova vizinha. O pai de Hannah, Robert Lawrence Stine (Jack Black), que escreveu as histórias de Goosebumps, mantém todos os fantasmas e monstros da série trancados em seus manuscritos. Zach sem querer, acaba libertando os fantasmas e os monstros dos manuscritos. Agora Zach, Hannah, e Stine terão de formar uma equipa e colocar os monstros de volta de onde vieram, antes que seja tarde demais.

One thought on “Crítica – Goosebumps: Monstros e Arrepios”

Deixe uma resposta