Análise/Crítica – Orgulho e Preconceito e Zumbis

Esta semana conferimos o longa “Orgulho e Preconceito e Zumbis”, confesso que não esperava muitas surpresas e tenho que admitir que realmente não tive nenhuma. O início do filme é muito divertido mostrando um caçador matando um zumbi da maneira que “gostamos”, mostrando as irmãs Bennett em ação em uma cena digna de sessão da tarde, mas mesmo não mostrando nada de surpreendente ainda assim estava aceitável.

Até que o filme muda completamene de cara e vemos apenas o romance barato entre os protagonistas, e toda a Orgulho e Preconceito e Zumbis 01ação é deixada de lado. A partir daí a narrativa fica cansativa e lenta, e quando o que chamou atenção para o longa que eram as irmãs guerreiras que matavam zumbis, com facas e espadas escondidas nos seus vestidos foi deixado de lado fez com que o filme ficasse muito sério, ou pelo menos deu a imprenssão de que essa foi a tentativa. O ator Matt Smith (Mr. Collins) deu um toque de humor britânico, sutil e muito bom, mas infelizmente é apagado pela péssima atuação de Lily James (Elizabeth Bennet) e Sam Riley (Mr. Darcy), que quando estavam juntos em cena não convenciam e nem tinham nenhuma química para serem o par romântico.

Confesso que esperava mais uma coisa parecida com Zombieland, um filme que não se leva tão a sério, mas o diretor Burr Steers pareceu que não sabia muito bem o que estava fazendo, já que em alguns momentos tenta ser sério e em outros torna a trama uma sátira sobre um apocalipse zumbi. Se tivesse ficado apenas como uma sátira com guerreiras matadoras, como foi vendido para o público, esse seria um dos melhores filmes baseados em apocalipse zumbi, mas infelizmente ele não é nem uma coisa e nem outra, se tornando algo massante e sem graça.

Orgulho e Preconceito e Zumbis estréia dia 25 de Fevereiro nos cinemas brasileiros.

Nota: classificação site 2

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sinopse – Orgulho e Preconceito e Zumbis
Uma misteriosa praga espalha zumbis sobre a terra nesta releitura do clássico conto de Jane Austen, que expõe a relação entre os amantes de diferentes classes sociais no século 19, na Inglaterra. A heroína Elizabeth Bennet (Lily James) é mestre em artes marciais e armas e o belo Mr. Darcy (Sam Riley) é um assassino voraz de zumbis, que alimenta e sintetiza o preconceito por ser de uma classe superior. Na medida em que o surto de zumbis se intensifica, eles devem engolir seu orgulho e unir forças no campo de batalha
encharcado de sangue, a fim de conquistar o mundo dos mortos-vivos de uma vez por todas.

O longa que é baseado no livro de Jane Austen e Seth Grahame-Smith, tem a direção de Burr Steers. E conta com Lily James, Sam Riley, Jack Huston, Bella Heathcote, Douglas Booth, Matt Smith, Charles Dance e Lena Headey no elenco.

One thought on “Análise/Crítica – Orgulho e Preconceito e Zumbis”

Deixe uma resposta